WhatsApp Image 2020-10-27 at 13.44.44
O candidato a prefeito de Itabuna, Augusto Castro (PSD), reafirmou a prioridade em requalificar o atendimento médico-hospitalar à população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS) com a melhoria das unidades da atenção básica e da média e alta complexidade. Para isso, o candidato da Coligação Mudar Para Fazer se comprometeu em reabrir o Hospital São Lucas, em parceria com a Santa Casa de Misericórdia e o Governo do Estado, e o Cemepi para o atendimento pediátrico.

“Vamos trabalhar nos primeiros 100 dias, a partir de janeiro de 2021, para que os cidadãos sejam atendidos nas suas necessidades na área de saúde. Atualmente, as pessoas sofrem nas filas nas unidades, na regulação e não têm atendimento razoável junto aos prestadores de serviço contratados pelo SUS. Precisamos mudar esta cruel realidade que acaba causando graves prejuízos à assistência médica e hospitalar das pessoas”, afirmou.

Augusto Castro se com reuniu um grupo de comerciantes de alimentos fast-food que atua na Praça Otávio Mangabeira, no centro, e com moradores do Banco Raso na noite de segunda-feira, 26. Durante o encontro, o candidato teve a oportunidade de explicitar seus projetos, ouvir reivindicações e sugestões para o Plano de Governo. “Nesses encontros, a gente tem a oportunidade de conversar francamente, olho no olho o que eleva o grau de confiança das pessoas”, ponderou.

O Hospital São Lucas, na opinião de Augusto Castro, é um equipamento indispensável para atender as pessoas de Itabuna e da região sul do Estado que necessitam de atendimento. “O atual estágio de abandono é inconcebível. Conversei com o secretário estadual de Saúde, Fábio Villas Boas, de quem temos a garantia de recursos da ordem de R$ 2 milhões para que a unidade seja exclusivo pelo SUS com diversas especialidades”, afirmou.

No tocante ao Centro Médico Pediátrico (Cemepi), o candidato disse que a unidade voltará atender pelo SUS para socorrer as crianças, as mães e as famílias. Augusto recordou que, como deputado estadual, conseguiu verba de R$ 400 mil, dinheiro que está nos cofres da Prefeitura de Itabuna, cujo atual gestor não assinou contrato com a direção do Cemepi. “Tenho confiança que, a partir do próximo ano, a unidade vai entrar em funcionamento”, assegurou.