IMAGEM_NOTICIA_0

Integrantes da bancada de oposição na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) se reuniram nesta segunda-feira (24), por videoconferência, com o secretário estadual da Saúde, Fábio Vilas-Boas, e apresentaram sugestões para aprimorar o projeto que cria a Companhia Baiana de Insulina (Bahiainsulina).

Solicitado pelos oposicionistas, o encontro teve a participação do ex-deputado José Carlos Aleluia (DEM), que conduziu um projeto similar no Ministério da Saúde, além dos deputados Sandro Régis (DEM), líder do bloco, Tiago Correia (PSDB) e Paulo Câmara (PSDB), além do assessor jurídico da bancada, João Otávio, para analisar as questões legais do projeto. O líder do governo Rui na AL-BA, deputado Rosemberg Pinto (PT), também participou da reunião.

Na reunião, o secretário apresentou o projeto e tirou as dúvidas dos parlamentares, que, em seguida, apresentaram alterações para melhorar o projeto. “As mudanças propostas foram acatadas pelo secretário. Construímos um entendimento e, agora, vamos levar à bancada da Oposição. Nosso objetivo é aprimorar o projeto para que a Bahia e o Brasil sejam efetivamente beneficiados”, disse Régis.

Câmara destacou que projeto foi apresentado pelo governo sem discussão prévia, mas que, agora houve um debate produtivo sobre o tema. “O secretário acatou nossas sugestões e ficou de levá-las à Casa Civil e, em seguida, novamente serão trazidas à nossa bancada. Foi um passo importante para aprimorar a proposta”, frisou.

Vilas-Boas apresentou, na reunião, a informação de que o Brasil tem mais de 12 milhões de diabéticos. Caso seja aprovada a criação, a Bahiainsulina poderá ser a primeira indústria deste tipo no hemisfério sul. “A insulina é estratégica e hoje só é produzida por quatro indústrias no mundo. A produção local poderá beneficiar os diabéticos e tornar a Bahia e o Brasil autossuficientes”, disse Correia.