Reabertura dos trabalhos legislativos em 2018

Um levantamento feito pela vereadora Andréa Figueiredo (PSDB), trouxe à tona uma questão: O que aconteceu com o dinheiro do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) dos servidores públicos municipais de Itororó nos últimos 20 anos? A edil constatou que um montante de mais de R$ 2,5 milhões (dois milhões e meio de reais) “simplesmente desapareceu” de uma conta única que o município de Itororó tinha na Caixa Econômica Federal.

“Eu venho pedindo uma CPI (Comissão Parlamentar de Investigação) há mais de um ano, pois tenho documentos que busquei junto ao SINSERVITO (Sindicato dos Servidores Municipais de Itororó) que mostram que esse dinheiro não existe mais”, disse Andrea.

Agora a Câmara de Vereadores quer saber: Quem sacou esse dinheiro? Quando sacou? Aonde sacou? Como a Caixa Econômica Federal permitiu ou autorizou esse saque? Para onde foi todo esse montante? Houve transferências? Para conta de quem? Em busca dessas respostas, Jonatas Lisboa, presidente da Câmara, disse que a Mesa Diretora irá dar todo o suporte necessário para criação da Comissão Parlamentar de Investigação (CPI) do FGTS. “Eu peço aos meus colegas, principalmente a Andréa que levantou essa questão, que se mobilizem ainda essa semana para podermos criar a CPI do FGTS”, disse Jonatas.