Estudantes dos municípios de Buerarema, São José da Vitória, Ibicaraí e Itajuípe

Estudantes dos municípios de Buerarema, São José da Vitória, Ibicaraí e Itajuípe

Ocorreu nesta sexta-feira, 18 de maio o encerramento do projeto Arte para o Futuro com a apresentação do espetáculo “A Hora da Estrela”, uma adaptação da obra de Clarice Lispector, por Luís Sérgio Ramos, dirigido por Gideon Rosa, e a palestra sobre o “Teatro Espontâneo”, que envolveu estudantes do ensino médio dos municípios de Buerarema, São José da Vitória, Itajuípe e Ibicaraí. O evento ocorreu no Líder Social de Buerarema e contou com a presença do dramaturgo Luís Sérgio Ramos e da Coordenadora de Incentivo e Promoção do Territórios Culturais, Mirnah Leite.

Mirnah informou que o projeto contemplou a expectativa do edital da melhor forma, com a promoção e a integração entre diversos municípios. Já Luis Sérgio, o adaptador do texto para a obra escolar disse ter ficado emocionado em poder assistir ao espetáculo e ver alguns dos personagens criados por ele tomando vida. Ele também elogiou o nível de profissionalismo dos atores. “Vocês podem se apresentar em qualquer lugar do país” acrescentou.

Realizado pelo grupo de teatro bueraremense “A Tribo, Arte e Sensibilidade”  o projeto teve início em abril com  diálogos com a comunidade, ocorridos nas escolas citadas,  onde diversos temas eram abordados, desde a experiência da Tribo com montagens teatrais até o processo que  consiste na elucidação de produção teatral e adaptação do texto da peça  para o  público escolar.

O projeto Arte para o Futuro conta com o apoio financeiro do Governo do Estado, através do Fundo de Cultura (Edital Territórios Culturais), Secretaria da Fazenda e Secretaria de Cultura da Bahia e apoio institucional do Instituto Macuco Jequitibá.

Fundo de Cultura do Estado da Bahia (FCBA) – Criado em 2005 para incentivar e estimular as produções artístico-culturais baianas, o Fundo de Cultura é gerido pelas Secretarias da Cultura e da Fazenda. O mecanismo custeia, total ou parcialmente, projetos estritamente culturais de iniciativa de pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado.

Os projetos financiados pelo Fundo de Cultura são, preferencialmente, aqueles que apesar da importância do seu significado, sejam de baixo apelo mercadológico, o que dificulta a obtenção de patrocínio junto à iniciativa privada. O FCBA está estruturado em 4 (quatro) linhas de apoio, modelo de referência para outros estados da federação: Ações Continuadas de Instituições Culturais sem fins lucrativos; Eventos Culturais Calendarizados; Mobilidade Artística e Cultural e Editais Setoriais. Para mais informações, acesse: www.cultura.ba.gov.br