WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia
prefeitura eunapolis bahiagas plansul prefeitura de urucuca buerarema



francesa veiculos uniftc fundacao jose silveira elite xbet

GERALDO SIMÕES QUESTIONA LAUDO DA FUNAI E QUER SUSPENSÃO DO PROCESSO DE DEMARCAÇÃO NO SUL DA BAHIA

Geraldo-Simoes

O deputado federal Geraldo Simões (PT/BA) reiterou, em pronunciamento feito hoje (10) no Congresso Nacional, a necessidade de uma solução para o conflito em Buerarema, no Sul da Bahia, envolvendo supostas terras indígenas Tupinambá de Olivença. “Como manifestei anteriormente o conflito vem se acentuando na região e, apesar da entrada da Força Nacional para manter a paz, a situação está se agravando”, disse o parlamentar.

Simões afirmou que no momento não quer entrar nos detalhes da concepção que moveu a construção da suposta identidade Tupinambá pelos estudos da FUNAI. “Sinto que este assunto requer um maior aprofundamento e seriedade, por suas consequências para a identidade nacional brasileira, para a vida dos indígenas ou dos seus descendentes”.

Na semana passada a Comissão de Direitos Humanos, da Assembleia Legislativa do Estado da Bahia realizou, em Buerarema e em Itabuna, audiências para debater o assunto. Nestas reuniões foi demonstrado que o polígono delimitado pela FUNAI, com base nos estudos da antropóloga Susana de Matos Viegas, é uma área de mais de 47 mil hectares, que ocupa mais de 20% do território do município de ilhéus, 20% de Buerarema e 5% de Una.

Este território, abrange as localidades de Acuipe, com aproximadamente 1.500 habitantes; Campo São Pedro e Curupitanga, 800; Jairi e Sirihiba 350; Porto da Lancha, 500; Lençóis, 1.300; Sapucaeira/Vila Santaninha e Vilinha, 2.000; Pixixica/Serra Negra, 700; Vila Brasil, 800 e Vila Operária, 900. Também no Distrito de Olivença existem 4.000 habitantes. São aproximadamente 12.850 pessoas que seriam diretamente afetadas pela demarcação.

De acordo com Geraldo Simões, “diante do caráter arbitrário e rígido com que está sendo feito o processo de demarcação, baseado em estudos no mínimo contraditórios e com consequências desastrosas para a paz na região, estamos postulando que imediatamente se suspenda a demarcação”. “Que se reintegre a posse das propriedades invadidas e se inicie uma negociação do Governo, com os segmentos realmente indígenas, buscando uma solução definitiva”, finalizou o deputado.

1 resposta para “GERALDO SIMÕES QUESTIONA LAUDO DA FUNAI E QUER SUSPENSÃO DO PROCESSO DE DEMARCAÇÃO NO SUL DA BAHIA”

  • VAL CABRAL disse:

    O problema que mais causa transtornos, prejuízos e atrasos ao Brasil, é a maioria dos brasileiros, que vota em vigaristas, canalhas, pilantras, fichas sujas, mascates de emendas, parasitas… ladrões do dinheiro público, que deveria servir para termos melhores serviços gratuitos de saúde, segurança, educação, infra-estrutura, assistência social, geração de emprego e renda, capacitação profissional…

Deixe seu comentário

vida med

vida + med


WebtivaHOSTING // webtiva.com . Webdesign da Bahia