“Tribuna da Bahia”.

Apesar do recesso parlamentar, os deputados estaduais baianos estão atentos ao anúncio das indicações dos últimos 400 cargos restantes no segundo e terceiro escalões da máquina pública estadual. Entre conversas com o governador Jaques Wagner (PT) e com o secretário das Relações Institucionais (Serin), Cézar Lisboa, com exceção do PSB, todos os partidos (PT, PDT, PSL, PCdoB, PP, PRB) já se entenderam e já sabem o espaço que lhes resta.

A senadora Lídice da Mata, presidente estadual do PSB, senta hoje com Wagner para discutir os seis primeiros meses do seu segundo mandato e saber seu espaço pelo interior.

No início das discussões para preenchimento dos cargos houve tensão com os deputados por conta de modificações nos critérios de distribuição, mas os ânimos se acalmaram e todos os partidos dizem que a situação é de tranquilidade.

A expectativa, agora, é a de que até o fim desta semana o tabuleiro esteja completamente arrumado. A senadora Lídice afirmou que o encontro desta manhã com Wagner será mais para avaliação do desempenho dos quadros do partido no secretariado e quanto ao segundo e terceiro escalão, ela admitiu que as coisas estão pré-definidas e que não haverá surpresas.

A reportagem também conversou com o presidente do PCdoB baiano, deputado federal Daniel Almeida, após o encontro com Wagner. Com os comunistas, o clima também é de paz e amor. “Nos reunimos com Wagner apenas para acertar o que já havia sido discutido com Cézar Lisboa.

Wagner apenas comunicou que iria fazer as nomeações o quanto antes. Por parte do PCdoB só há pequenos ajustes, na maioria dos casos, o partido já tem seus quadros e já fez as indicações para o que precisa ser mudado”, pontuou Daniel Almeida